Chocolates que ajudam a emagrecer? Há verdade nisso?

De todos os alimentos que em geral consumimos como guloseimas, doces ou sobremesas, o chocolate é um dos que gozam de melhor reputação. É claro que comer chocolate é melhor que comer caramelos ou chicletes, que somente aportam calorias, açúcares e aditivos químicos, porém é possível afirmar que o chocolate pode ajudar a emagrecer?

chocolates

Cacau e tipos de chocolate

O chocolate é um produto alimentício que se obtém do cacau, um alimento vegetal que possui propriedades nutricionais excepcionais. Basicamente, é uma mistura de pasta de cacau, manteiga de cacau e quantidades variáveis de açúcar.

Entretanto, para elaborar alguns chocolates se utiliza muita manteiga de cacau (lípidos do grão), a qual está composta por uns 60% de gorduras saturadas e uns 40% de gorduras insaturadas. Outro problema surge na elaboração do chocolate, quer seja industrial ou artesanal, onde se acrescenta leite, açúcar, creme de leite e outros aditivos calóricos e pouco saudáveis. Como sempre, manipular em excesso a uma matéria prima comestível termina alterando sua qualidade nutricional.

O chocolate branco é um produto que não leva pasta de cacau, somente a manteiga, pelo qual não expressa os benefícios do grão do cacau. Não é chocolate de verdade e é a opção menos saudável deste grupo. Por outro lado, o chocolate com leite é o mais consumido no mundo por seu sabor doce e tem, como seu nome indica, leite e açúcar agregados. Seu conteúdo de cacau está sempre abaixo dos 40%. Por último, o chocolate amargo que é o mais saudável porque é ele que possui mais cacau, pelo menos uns 50% e reflete as bondades deste super-alimento.

Composição nutricional do chocolate amargo e benefícios para a saúde

As diferenças em calorias, hidratos de carbono e gorduras entre o chocolate negro (amargo), o chocolate com leite e o chocolate branco não são significativas. Entretanto, o chocolate amargo é o que aporta menos calorias e gorduras saturadas.

O chocolate amargo possui um maior conteúdo de cacau e por isso oferece numerosos benefícios:

– Contribui com a perda de peso porque oferece saciedade graças as gorduras saudáveis e a fibra solúvel que contém. Além disso, essas gorduras fazem com que os açúcares do chocolate se absorvam lentamente e não produzam picos de insulina, um hormônio que reduz os níveis de açúcar no sangue, estimula o apetite e favorece a síntese de gorduras no corpo. O chocolate amargo também contém feniletilamina, um estimulante que inibe o apetite.

– Fomenta a produção de endorfinas, substâncias relacionadas com o bem-estar e a alegria. Este efeito é quase imediato.

– Contém triptófano, um aminoácido precursor da serotonina que é um neurotransmissor que melhora o estado de ânimo e reduz a ansiedade. Além disso, os níveis adequados de serotonina permitem controlar a fome. É comum que pessoas obesas tenham deficiência de serotonina.

– Protege o coração e os vasos sanguíneos graças aos antioxidantes (catequinas e polifenoles) que contém o grão de cacau e estão presentes nesta variedade de chocolate. Também reduz os níveis de colesterol total e de colesterol “mal” (LDL).

– Embeleza a pele, a suavizando e a tornando mais jovem.

– Melhora a digestão, alivia a constipação e regula a flora intestinal.

– Previne as doenças neurodegenerativas, tais como a demência ou a doença de Alzheimer, ao melhorar a função cerebral.

Como incorporar o chocolate na dieta?

Para emagrecer, é ideal escolher um chocolate amargo com 70 ou 80% de cacau. É possível comer um pouco deste alimento todos os dias, sem exceder as 20 gramas diárias. Uma barra de chocolate amargo aporta menos de 70 quilocalorias e favorece a perda de peso.

Deixar um comentário